13 de set de 2014

Eu amo minha casa!

Eu não me lembro exatamente quando comecei a me interessar pelo assunto casa, mas de uma coisa eu me lembro: desde sempre me interessei pelo bem estar que sentia dentro delas.
Ainda criança eu sentia os efeitos da organização da minha casa e quando havia a desorganização, percebia um certo mal estar.
Nos idos anos 70/80, sem internet e sem a globalização que temos hoje, duvido que alguém soubesse o que era Feng Shui. 
Não se falava em decoração com o modismo que temos hoje. Simplesmente as pessoas enchiam a casa de mobília, compravam e herdavam móveis e iam espalhando pelos cômodos vazios, com mais ou menos estética. Arquitetura de Interiores era coisa para poucos.
E assim eu fui crescendo e percebendo que este vazio ou excesso de coisas deixavam as pessoas e suas casas mais leves ou mais pesadas, mais felizes ou mais tristes e de uma coisa eu tinha certeza, tudo o que havia na casa me influenciava.
Naquela época eu nem desconfiava que havia uma técnica maravilhosa que transformava todo este meu sentimento em adequação, mas intuitivamente eu o aplicava, porque já tinha certeza que todos nós somos capazes de sentir o fluxo da energia que nos cerca.
Quando temos memórias afetivas de conforto, bem estar, cheiros de comidas, de sabores, de risadas, com certeza estávamos em um ambiente de um bom Feng Shui. Toda esta energia positiva fica impregnada nas paredes, na mobília, na casa e nas pessoas.
Quando mudamos para uma outra casa, queremos trazer tudo isso conosco, num nível além da memória, passando esta harmonia para o ambiente em que vamos viver.
É aí que entra também o Feng Shui. Com ele podemos equilibrar as emoções, incentivar o Sucesso e a Prosperidade, criar espaço para novos sentimentos e melhorar aquilo que não vai tão bem assim.
Quando se trata de energia, somos um ótimo termômetro da nossa casa. Num bom Feng Shui, não precisamos mexer em tudo, o que está bom é porque já está harmonizado e o que ainda não está como deveria, devidamente ajustado, em pouco tempo se transforma. Simples assim!
A nossa casa precisa apenas de Alma para nos trazer bem estar. Enxergá-la com Vida já é meio caminho andado.