3 de out de 2013

Faça uma profunda conexão com a sua casa e seja mais feliz!

Ultimamente tenho dedicado mais tempo ao estudo do Feng Shui Interior, em como fazer da nossa casa um verdadeiro "Espaço Sagrado", um santuário pessoal para nossa Alma e em como realmente encontrar  equilíbrio interior auxiliado pela proteção emanada pelos nossos lares.
Ao longo destes anos de trabalho, somados a minha experiência própria (sou cobaia de mim mesma nas aplicações práticas das técnicas que venho estudando e reciclando), pude perceber uma ansiedade muito grande em querer mudar as coisas da noite para o dia, num abracadabra, como se quisessem dar "dipirona" para a vida e tudo se resolvesse após 10 minutos.
Eu amo o Feng Shui, porque sei que ele pode fazer essa mágica maravilhosa se for bem aplicado, tanto pelo consultor com suas percepções como pelo praticante, com a dedicação em aplicar as curas oferecidas.
Esta incrível técnica, que atua do exterior para o interior do nosso Ser, em níveis muito profundos e significativos, surte efeito muito rapidamente (desde que aplicada corretamente). É impressionante!
Todos nós somos merecedores de Amor, Prosperidade, Saúde, Bem Estar, Felicidade, Equilíbrio. E o Feng Shui ajuda a encontrar o caminho para tudo isso, pois provoca uma revisão interna a partir da revisão externa. Precisamos rever o "casulo casa" para compreendermos o "casulo alma". 
Quer conhecer uma pessoa? Conheça a casa dela. Ela revela nossa história pessoal, sonhos, medos, convicções.
Depois de todos esses anos é impossível eu ir na casa de alguém e não coletar mil informações sem sequer ter tido palavras (meus amigos que me desculpem, não faço de propósito, já está no automático).
A casa descreve o seu morador.
Anos atrás atendi uma cliente que levou outros anos para aplicar o que lhe passei e infelizmente não conseguiu concluir...sua história de vida, muito marcante nas suas expressões (ou melhor, ausência de expressões e dureza na face) e mais ainda na sua casa, revelavam sua história de abandono familiar.
Ela me dizia que aquilo já havia sido superado, mas sua casa me dizia totalmente o contrário...paredes vazias, nenhum enfeite, nenhuma emoção latente. Um enorme vazio.
Justificava a falta de objetos como praticidade da vida moderna, pouco tempo para limpezas e arrumações, mas percebi ali que na verdade ela não se sentia capaz de trocar afeto com uma almofada que fosse. Ao dizer que não gostava de enfeites na verdade ela demonstrava seu medo por cuidar, gostar e de repente perder.
Muito do nosso trabalho foi concentrado na área da Família e Relacionamentos, inclusive porque era um Guá faltante naquela residência (não existem coincidências!!!). Também foi preciso cuidar do Equilíbrio ou Guá da Saúde, pois muitos problemas de saúde foram se somando com o tempo.
Ali o Feng Shui foi o ponto de partida, mas mexer com tudo isso pareceu doloroso demais e ela não teve forças para buscar ajuda em outros tratamentos, tão importantes também.
Fica aqui a dica: examinem suas casas!
Concentrem-se com calma, de preferência num momento em que estejam sozinhos, sem interferências externas (telefone, filho, barulho). Façam uma conexão com cada cômodo (cada um está relacionado com uma área importante do Baguá), sintam o bem estar ou o mal estar causado por ele, percebam o tipo de energia emanada (alegria, dor, pesada, leve). Se for preciso, passeie por cada cômodo e pare no centro dele, feche os olhos, respire profundamente e sinta. Você é o maior termômetro da sua casa, acredite.
Depois faça suas anotações, analise suas impressões e você saberá o que está te incomodando.
Bagunçólatras de plantão: aproveitam este momento para uma boa limpada na área.
Está chegando o final do ano, é uma boa hora para começar a arrumar a casa, arrumar as bagunças, traçar um novo plano de vida.Você consegue!
Aguardo feedbacks!